Diário de uma moça bem comportada, 2020

Feita por técnica de cianotipia, a série nasceu de uma ironia que é a vida da mulher: o papel de boa moça e o fardo que essa simbologia traz.

Escolho gravar no papel, pela impressão ao sol, objetos da casa e partes do corpo da mulher que travam uma sutil luta entre ficar marcada com o peso "de boa moça" e cumprir socialmente comportamentos que esperam de nós. Através da gravação destes objetos-corpo, proponho refletir sobre o padrão repetitivo que continuamos, de geração pra geração, realizando enquanto mulher. É uma série esteticamente bonita, mas que traz o contraste com o tema. 

diário de uma moça bem comportada 1.JPG
fragmentos do descanso
fragmentos do descanso